ACHMG
0
0
0
0
0
0
0
0
0
1

Diamantina

Região das histórias

Publicada em: 21 de junho de 2018

Festival dos Apanhadores e Apanhadoras de Flores Sempre-Vivas em Diamantina




 

DIAMANTINA, QUARTA-FEIRA 20.06.2018 - As flores sempre-vivas que sempre podem ser encontradas na praça Barão de Guaicuí, em Diamantina, vão ocupar toda a praça e também o Centro Cultural David Ribeiro (Mercado Velho), amanhã e sexta-feira, dias 21 e 22 de junho de 2018, quando será realizado o 1º Festival dos Apanhadores e Apanhadoras de Flores Sempre-Vivas, em Diamantina – Minas Gerais. O evento ocorrerá na praça Barão de Guaicuí e no Centro Cultural David Ribeiro (Mercado Velho).

A programação do Festival inclui uma série de atividades que busca mostrar para a sociedade um pouco mais sobre a atividade dos apanhadores de flores. São esperados cerca de 300 apanhadores de flores de toda a região da Serra do Espinhaço Meridional/MG. Haverá o lançamento e exibição de um documentário sobre o modo de vida tradicional dos apanhadores de flores sempre-vivas, além de mostra fotográfica, feira com produtos artesanais das comunidades e uma série de apresentações culturais.

DOSSIÊ PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL
O sistema agrícola tradicional dos/as apanhadores/as de flores sempre-vivas foi selecionado para a primeira candidatura brasileira ao programa de reconhecimento de “Sistemas Importantes do Patrimônio Agrícola Mundial” – SIPAM (ou GIAHS, na sigla em inglês) da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO/ONU.
O ponto alto do Festival será o ato de entrega do dossiê da primeira candidatura brasileira ao programa SIPAM/FAO. Nesse momento, que ocorrerá amanhã, dia 21,às 14h, quando os apanhadores de flores sempre-vivas e o grupo de trabalho envolvido entregarão o dossiê de candidatura ao representante da FAO no Brasil.

A candidatura ao programa da FAO/ONU é uma iniciativa da Comissão em Defesa dos Direitos das Comunidades Extrativistas (Codecex), organização social que representa regionalmente as comunidades apanhadoras de flores sempre-vivas, com o apoio de pesquisadores parceiros. O processo de candidatura envolveu representantes das comunidades de apanhadores de flores, acadêmicos, organizações parceiras, das prefeituras municipais de Diamantina, Buenópolis e Presidente Kubitschek e dos governos estadual e federal.
Reconhecido mundialmente, esse título já foi concedido pela FAO/ONU a 41 sítios, em 18 países, que se destacam por sua paisagem, diversidade agrícola e herança cultural. Esse programa foi criado em 2002 com o objetivo de preservar sistemas agrícolas marcados pela integração entre modos de vida tradicionais e o meio ambiente de forma equilibrada.

CONTATOS PARA ENTREVISTA:
1. Codecex e apanhadores de flores sempre-vivas

- Maria de Fátima Alves, conhecida como Tatinha, integrante da Codecex e representante dos apanhadores

de flores sempre-vivas no Conselho Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais. Telefone: (38) 99933-

8345;

- Andréia Ferreira, integrante da Codecex e apanhadora de flores sempre-vivas da comunidade de Raiz (Pres.

Kubistchek-MG). Telefone: (38) 99942-8494;

- Gabriel Dayer, assessor técnico da Codecex. Telefone: (38) 99843-5818.

2. Pesquisadores e parceiros

- Fernanda Monteiro, pesquisadora da USP, coordenação técnico-científica da elaboração do Dossiê para a

FAO/ONU. Contato: (38) 98807-4612;

- Claudenir Fávero, professor da UFVJM, integrante da equipe técnico-científica de elaboração do Dossiê

para a FAO/ONU. Conato: (38) 98807-4712;