ACHMG
0
0
0
0
0
0
0
0
0
1

Diamantina

Região das histórias

Publicada em: 8 de junho de 2018

I Festival dos Apanhadores e Apanhadoras de flores sempre-vivas


As flores sempre-vivas são coletadas por comunidades tradicionais autodefinidas como “apanhadores de flores sempre-vivas”. Organizadas em comunidades rurais (algumas delas quilombolas), esses grupos possuem um modo de vida baseado no manejo e uso de diversos ambientes da Serra do Espinhaço Meridional (MG), onde realizam atividades de cultivo de roças, criação de animais e coleta de flores sempre-vivas de forma tradicional.


Os/as apanhadores/as de flores são detentores de uma gama de conhecimentos e práticas seculares e integram o patrimônio cultural de Minas Gerais e do Brasil. Devido a sua relevância sociocultural, ecológica e econômica, são reconhecidos pelo Estado como um povo tradicional e estão representados na Comissão Estadual para o Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais (CEPCT-MG) e no Conselho Nacional de Povos Tradicionais (CNPCT).


Para valorizar e promover o modo de vida e os direitos das comunidades de nossa região, será realizado nos dias 21 e 22 de junho de 2018 o 1º Festival dos Apanhadores e Apanhadoras de Flores Sempre-Vivas, em Diamantina – Minas Gerais. O evento ocorrerá na praça Barão de Guaicuí e no Centro Cultural David Ribeiro (Mercado Velho).


Para mostrar o seu trabalho no 1º Festival, são esperados cerca de 300 apanhadores de flores de toda a região da Serra do Espinhaço Meridional/MG. Haverá o lançamento e exibição de um documentário sobre o modo de vida tradicional dos apanhadores de flores sempre-vivas, além de mostra fotográfica, feira com produtos artesanais das comunidades e uma série de apresentações culturais.




DOSSIÊ PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL



O sistema agrícola tradicional dos/as apanhadores/as de flores sempre-vivas foi selecionado para a primeira candidatura brasileira ao programa de reconhecimento de “Sistemas Importantes do Patrimônio Agrícola Mundial” – SIPAM (ou GIAHS, na sigla em inglês) da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO/ONU. Reconhecido mundialmente, esse título já foi concedido pela FAO/ONU a 41 sítios, em 18 países, que se destacam por sua paisagem, diversidade agrícola e herança cultural. Esse programa foi criado em 2002 com o objetivo de preservar sistemas agrícolas marcados pela integração entre modos de vida tradicionais e o meio ambiente de forma equilibrada.


O ponto alto do inédito Festival será o ato de entrega do dossiê da primeira candidatura brasileira ao programa SIPAM/FAO. Nesse momento, que ocorrerá no dia 21/06 às 14h, os apanhadores de flores sempre-vivas e o grupo de trabalho envolvido entregarão o dossiê de candidatura ao representante da FAO no Brasil.


A candidatura ao programa da FAO/ONU é uma iniciativa da Comissão em Defesa dos Direitos das Comunidades Extrativistas (Codecex), organização social que representa regionalmente as comunidades apanhadoras de flores sempre-vivas, com o apoio de pesquisadores parceiros. O processo de candidatura envolveu representantes das comunidades de apanhadores de flores, acadêmicos, organizações parceiras, das prefeituras municipais de Diamantina, Buenópolis e Presidente Kubitschek e dos governos estadual e federal.



INSTITUIÇÕES ENVOLVIDAS NA CANDIDATURA AO PROGRAMA SIPAM/GIAHS


Proponente: Comissão em Defesa dos Direitos das Comunidades Extrativistas (Codecex)


Parceiros:


Não-governamentais


- Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA/NM)


- Terra de Direitos


 - Agência de cooperação HEKS-EPER


 Grupos universitários de pesquisa e extensão


- Núcleo de Estudos em Agroecologia e Campesinato da UFVJM


- Núcleo de Estudos em Ecofisiologia Vegetal da UFVJM


- Laboratório de Geografia Agrária da USP


- Laboratório de Etnobiologia e Agroecologia da UFJF


- Grupo de Estudos em Temáticas Ambientais da UFMG


Governamentais


- Governo do Estado de Minas Gerais


- Prefeitura Municipal de Diamantina


- Prefeitura Municipal de Presidente Kubistchek


- Prefeitura Municipal de Buenópolis



I FESTIVAL DOS/AS APANHADORES/AS DE FLORES SEMPRE-VIVAS



Realização


- Comissão em Defesa dos Direitos das Comunidades Extrativistas (Codecex)


Parceira


- Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM)


- Articulação Rosalino Gomes de Povos e Comunidades Tradicionais


- Comissão Estadual para o Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais


Apoio


- Prefeitura Municipal de Diamantina


- Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural e de Políticas Culturais de Diamantina


- Prefeitura Municipal de Presidente Kubistchek


- Prefeitura Municipal de Buenópolis


- Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário de Minas Gerais (Seda)


- Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais de Minas Gerais (Seedif)


- Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania de Minas Gerais (Sedpac)


- Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG)


- Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG)


- Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFVJM


- Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE)


- Agência de cooperação HEKS-EPER