ACHMG
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
1

Prados

Região das manifestações

Arte e Cultura

Artesãos e Artistas Plásticos

 

Santos e retábulos são entalhados em cedro nas igrejas por mãos habilidosas, inspirando-se na arte Barroca.

Nos enormes troncos são talhados animais como tartarugas, tamanduás, capivaras, jacarés, cavalos, bois, peixes, pássaros e outros. Mas a peça mais tradicional trabalhada pelos artesãos é o leão.

A tradição artesanal de Prados vem sendo passada de geração há mais de 25 anos, sempre com a preocupação de manter nas peças características dos primeiros mestres, mescladas com a criatividade dos novos artistas.

Além do artesanato em madeira, artistas também trabalham com papel marchê, pintura em tecido, tela, bordado, fuxico, crochê, palha, ferro, lata, cerâmica, bambu, taquara, material reciclado e cabaça.

O artesanato de Prados possui reconhecimento internacional devido a sua qualidade e originalidade de suas obras.

Músicos

 

A Lira Ceciliana, sociedade dos músicos de Prados, entidade sem fins lucrativos, tem sua fundação tradicionalmente situada no ano de 1858. Seu fundador foi José Estêvão Marques da Costa (1843-1889), o qual foi sucedido à frente da corporação musical por seu filho, Antônio Américo da Costa (1867-1944), músico notável, compositor de inúmeras obras de variados estilos musicais. Antônio Américo foi professor e regente da Lira Ceciliana até sua morte, deixando em seu lugar o neto Adhemar Campos Filho (1926-1997). Este último foi músico amplamente reconhecido, tendo atuado como instrumentista, regente, arranjador e compositor, profundo conhecedor da música sacra mineira dos séculos XVIII e XIX, com a qual lidou durante toda sua vida, sendo, naturalmente, um de seus grandes e pioneiros propagadores. Em 1977, em parceria com o Maestro Olivier Toni, então chefe do Departamento de Música da Universidade de São Paulo, criou os Festivais de Música de Prados.

Herdeira do movimento musical que se desenvolveu em Minas Gerais a partir do início do século XVIII (em Prados, os registros remontam a 1726), a Lira Ceciliana se destaca por ter feito sobreviver através dos tempos a Música Barroca Mineira, num fenômeno cultural praticamente único no país, apenas equiparado às centenárias orquestras da vizinha cidade de São João del-Rei. Mantém em contínua atividade uma orquestra, um coral, uma banda de música e uma escola de iniciação musical para a formação de novos integrantes, participando da maioria das festas religiosas, cívicas e populares de Prados, apresentando-se em outras cidades em ocasiões diversas e promovendo anualmente os Festivais de Música, que, em 2005, chegaram à vigésima oitava edição.

Recebeu títulos de utilidade pública municipal (Lei 521 de 09/12/1975), estadual (Lei 8.528 de 17/04/1984) e federal (Decreto-lei 89.685 de 21/05/1984).

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES NA ÁREA CULTURAL

Manutenção de três conjuntos musicais estáveis: banda de música, orquestra e coral;

Manutenção de uma escola de iniciação musical, aberta a toda a comunidade, com oferta de cursos gratuitos e empréstimos de instrumentos musicais;

Manutenção de um acervo musical composto de partituras e partes dos séculos XVIII, XIX e XX;

Participação em festas religiosas tradicionais locais, que constituem importantes manifestações culturais (p. ex. Semana Santa), em que são executadas peças de grandes mestres da música mineira, tais como Manoel Dias de Oliveira e José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita;

Realização anual de um Festival de Música;

Realização de apresentações (concertos e retretas) em Prados e outras cidades.


Ainda estamos preparando o conteúdo desta página.
Volte em breve e veja o que separamos para você