ACHMG
Sabores da Região das Artes

Na primeira quinzena de setembro, a encosta da serra de Casa Branca, bairro de BRUMADINHO, se une ao Brumadinho Gourmet, uma das mais autênticas portas para o resgate da gastronomia de raiz, realizado há 9 anos pela Ama Aldeia, com apoio da Prefeitura. A versatilidade das apresentações culturais e os sabores das iguarias trazem experiências sensoriais únicas, pois o público encontra em um só lugar artesãos, artistas, músicos, dançarinos, quitandeiras, doceiras e renomados chefs nacionais. Informações: (31) 99811-8866

 

CATAGUASES, portal vivo do modernismo, gravou seu nome no cinema brasileiro e na literatura. A cidade se orgulha da Associação de Mulheres Rurais, integrada por agricultoras que plantam, colhem e processam doces cristalizados e em barra, compotas, polpadas (doce de colher), geleias, licores e pães. Na loja “Coisas da Roça”, as empreendedoras comercializam e servem o “Café Rural”, com quitandas caseiras típicas da cozinha mineira. Encomendas: (32) 3429.2585

 

O Festival de Quitanda de CONGONHAS resgata e preserva a tradição da culinária mineira. Realizado há 17 anos, sempre no terceiro domingo de maio, o evento reúne quitandeiras locais e regionais. Durante todo o dia, acontecem apresentações culturais, além da comercialização e concurso de quitandas. Devido à tradição da festa, o ofício das quitandeiras está sendo avaliado junto ao IPHAN para que seja considerado patrimônio imaterial.

 

A joia gastronômica de ITABIRITO é o Pastel de Angu, criado, por volta de 1851, pelas escravas Maria Gonga e Philó. Elas foram as primeiras a usar sobras de angu para fazer bolinhos recheados com guisado de umbigo de banana. O modo de fazer o Pastel de Angu de Itabirito é registrado como Patrimônio Imaterial do município, efetivando sua salvaguarda e valorização. A iguaria típica, muito saborosa, recheia e escreve um capítulo da história local.

 

O cuscuz é prato tradicional de MARIANA e está presente no cardápio das famílias, especialmente no distrito de Padre Viegas, onde se realiza o Festival de Cuscuz. Durante séculos foi feito apenas com o fubá cozido para a alimentação da manhã, por dar sustento por muitas horas. Com o passar do tempo foi-se incrementando a receita que hoje apresenta variedades com frango, legumes e iguarias.

 

OURO BRANCO é uma cidade de sabores aconchegantes. Das mais apetitosas opções de petiscos que recheiam o Tira-Gosto Cultural, em maio, às iguarias típicas que estrelam o Festival da Batata, em outubro, a gastronomia ouro- branquense simplesmente deixa sua marca no coração de Minas Gerais. Aos pés da Serra do Ouro Branco e a 30 minutos do centro histórico de Ouro Preto, Ouro Branco o espera de braços abertos e mesa posta.

 

Gastronomia de OURO PRETO.  Para valorizar a cultura local e manter viva a tradição de comidas típicas da região são realizados os festivais culinários nos distritos de Ouro Preto.  As formas de fazer e os ricos costumes são mantidos e representam a identidade de cada povoado, como o ora-pro-nóbis em Lavras Novas, o umbigo de banana em Santo Antônio do Salto e a fabricação de doces, com destaque uma gostosura mineira: a goiabada cascão, em São Bartolomeu.